top of page

PFL nas Eleições: dossiê bombástico diz haver fraude em prévias do PSDB. Entenda:

Um dossiê, criado por um grupo de presidentes estaduais do PSDB, tem acusações contra o PSDB-SP, numa suposta tentativa de fraude no sistema de votação nas prévias do partido. A denúncia de fraude em filiações foi apresentada por apoiadores de Eduardo Leite, Governador do RS.


De acordo com as informações, 92 prefeitos e vice-prefeitos iriam votar de maneira irregular no pleito interno do partido. O PSDB de São Paulo nega e chama o dossiê de estratégia eleitoral, dizendo que os autores querem vencer na base do 'grito'.



Imagem: Twitter oficial


O documento, já bombástico, diz que os prefeitos e vices se filiaram ao partido após a data limitada para votação das prévias, ou seja, depois do dia 31 de maio.


Na Justiça Eleitoral, estes registros teriam sido feitos, pelo que foi informado, de maneira retroativa.


A fraude eleitoral se dá, no caso, por uma certa diferença de datas entre o registro no sistema interno do partido e, também, no sistema eleitoral da Justiça.


O texto diz que o sistema do partido permite inclusão de data retroativa ao momento da inclusão no cadastro, e dessa forma, alguém pode ter cadastrado no sistema na data atual, sendo que o administrador tem liberdade para incluir outra data para filiação.


Este dossiê polêmico levantou 51 prefeitos e 41 vice-prefeitos registrados no diretório paulista, e, o documento fala que teriam certas inconsistências nas datas.


Uma carta acompanha o dossiê, e é direcionada ao Presidente do partido, Bruno Araújo, e é assinada por quatro presidentes de diretórios, são eles: Adolfo Viana, da Bahia; Lucas Redecker, do Rio Grande do Sul; Paulo Abi-Ackel, de Minas Gerais e Luiz Pontes, do Ceará.

Para resolver o caso, o grupo pede que a direção do partido averigue a situação, 'imediata exclusão' dos nomes na lista de votantes, e uma investigação de possíveis outros registrados no sistema judiciário eleitoral, após 31 de maio.



Imagem: Twitter/ Pré-candidatos do PSDB.


Para esclarecer, o documento não cita o nome de João Doria, Governador de São Paulo, mas acusa o diretório paulista em 'insistir em burlar a norma, o que restou caracterizada com fraude efetuada no cadastramento dos novos filiados com datas retroativas.'


Em resposta, o PSDB de São Paulo diz que as alegações são parte de uma estratégia eleitoral, já que prefeitos e vice-prefeitos são fortes na disputa. O PSDB Nacional se posicionou em suas redes sociais.







0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page