top of page

Em uma violência baseada em gênero, a agressão contra a mulher está crescendo

No Brasil, em média, quatro mulheres por dia são vítimas de feminicídio, de acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.


Imagem: Internet


Enquanto o Governo Bolsonaro corta a verba, o Brasil bate recorde com 699 casos de feminicídios no primeiro semestre de 2022.


O Orçamento da União diminuiu 94% dos recursos para politicas especificas de combate a violência contra a mulher no primeiro semestre de 2022.


Infelizmente os casos mais comuns desses assassinatos ocorrem por motivos como separação e são cometidos pelo parceiro ou ex-parceiro.


RELEMBRE CASOS DE FEMINICÍDIO QUE PARARAM O PAÍS


Caso Eliza Samúdio (2010)


Eliza conheceu o goleiro Bruno durante uma festa na casa de um jogador de futebol, onde começaram a ter um romance às escondidas, já que Bruno era casado.


Em 2009, Eliza anunciou sua gravidez ao goleiro, mas não foi bem recebida com a notícia. Ele propôs que ela fizesse um aborto. Bruno e mais dois amigos agrediram ela nos meses de gestação.


Samúdio prestou queixa na delegacia.

Em julho de 2010, Eliza foi assassinada e esquartejada a mando de Bruno, e seu corpo teria sido jogado ao cachorros.


Caso Daniella Perez (1992)


A atriz foi outra vítima de feminicídio de um crime brutal e cruel. Com apenas 22 anos, Daniella foi assassinada por Guilherme de Pádua e sua mulher, Paula Thomas.


Guilherme e Daniela formavam um par romântico na novela que era escrita Gloria Perez, mãe de Daniella.


O casal fez uma emboscada na saída da gravação da novela para Daniella e levaram a atriz para um terreno baldio eela foi esfaqueada por 18 vezes.


Instagram do Colunista: @tasai.peter


NÃO SE CALE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

LIGUE 180, escuta acolhida e qualificada a mulheres em situação de violência.

0 comentário
bottom of page